Notícias

Postado em 19 de August de 2019 @ 2:39 am | 0 views



Então, minha fala hoje, até mesmo em razão do tempo, vai ser uma apresentação de um tema que eu comecei a tratar na minha monografia da pós-graduação de uma forma bem superficial, porque ele se inscrevia no limiar do meu objeto. Ao mesmo tempo que eu descobri que ele era fundamental para a compreensão plena desse meu objeto, que era a formação do Estado Moderno, eu descobri que também falta ser desenvolvida uma metodologia para abordá-lo. O tema é a ordem.

O conceito de ordem é um ponto problemático para se começar qualquer explicação e eu não vou busca-lo. Ordem, na definição que eu vou adotar aqui, é a interação sistemática de normas sociais no sentido durkheiminiano, ou seja, um sistema de comportamentos dotados de sentido dentro de uma determinada comunidade (que aqui não se refere especificamente ao conceito de comunidade sobre o qual se debruça todo esse seminário). De onde eu tirei essa definição? Da definição de fato social do Durkheim, contida no As Regras do Método Sociológico.

Essa ordenação, como já se pode imaginar, tem uma relação tensa com a ordem jurídica e com qualquer outra ordem que tem por intenção organizar a realidade, mas também é normativa. Há uma relação que é pretensioso chamar dialética, mas que, em certa medida, o é. Por que?

Leia mais/Read More


Postado em 19 de August de 2019 @ 2:28 am | 2 views



É amplamente reconhecido como uma verdade sobre a atividade científica que, uma vez que o pesquisador começa a estudar um assunto, ele começa a ver seu objeto de estudo em todos os lugares. Se isso realmente acontece com você, colega pesquisador, isso é um sinal de que você está seguindo o caminho certo. Se isso não acontecer com você, bem … Encontre outro objeto.
Meu objeto de estudo é o eterno debate comunidade versus sociedade, reformulado pelo debate entre comunitarismo e liberalismo na esfera da Teoria da Justiça, como estou tentando obter um mestrado em Direito. E desde que eu sou um crente duro dos princípios do comunitarismo (embora a palavra crente é um pouco maliciosamente usada como pejorativa para pessoas que acreditam sem prova, posso garantir que minha crença é cheia de provas – mas eu não vou debatê-las aqui) , Vejo este desvelamento da verdade comunitária em todo lugar.

Como eu estava me sentindo meio triste ontem, comecei a navegar nos meus canais de TV a cabo até que o Wolverine apareceu na tela. Quando eu era mais jovem, gostava de quadrinhos, mas nunca fui verdadeiramente apegada aos X-men, meu coração estava ao lado de Spawn. Quando eu ouvi sobre Genosha, Magneto e esse tipo de coisa “viva livre ou morra” que sempre fez meu sangue bombear mais rápido quando li sobre a história dos EUA no primeiro (ou no segundo, eu não sei) filme X-men, eu tornou-se um admirador dos bandidos. Assim como Fuzzy Lumkins das Meninas Superpoderosas, elas pareciam estar do lado certo da história, o lado que sacrificava a aceitação da sociedade dominante pelo seu direito de viver uma forma de vida compatível com suas crenças.

Leia mais/Read More



TOP